Archive for the '07 – PensarMontado' Category

Relatório final do workshop pensarmontado

Extractos do livro Subericultura de J. Vieira Natividade disponíveis na página “mesa interdisciplinar”

No dia 17 de Janeiro, teve lugar, na herdade do Freixo do Meio, o workshop Pensar Montado que visava, de acordo com a informação divulgada no blog “NaturaMeio”, “(…) ser um trabalho conjunto com o fim de obter uma síntese de “atitudes” de quem criou e geriu este agro-eco-sistema, até à era industrial. O objectivo é levantar as premissas básicas deste sistema, por forma a conhecer melhor a sua essência, os seus pilares. A bondade deste exercício prende-se com o desconhecimento do mesmo e com a sua possível actualidade numa época que evidencia necessidade de mudança.”

A Programação dos trabalhos foi a que se segue:

09H30 – Recepção dos participantes
10H00 – Caracterização histórica do Montado (Ana Fonseca )
10H15 – O Montado como exemplo de Eco-eficiência (Alfredo Cunhal Sendim)
10H30 – Multifuncionalidade da Paisagem do Montado (Teresa Pinto Correia)
10H45 – Debate
11H30 – Visita ao Montado do Freixo do Meio
13H00 – Almoço
15H00 – Trabalho conjunto com vista ao levantamento das premissas básicas da construção do Agro-eco-sistema do Montado (Todos os participantes)
17H00 – Apresentação das conclusões

A divulgação do workshop foi efectuada através do blog
naturameio.wordpress.com
As inscrições eram gratuitas e deviam ser efectuadas para montado.freixo@gmail.com
Bem cedo começaram a chegar os participantes acolhidos pelo café da manhã enquanto se preparavam as apresentações em Power Point e o projector.

Após uma introdução do Alfredo seguiram-se as apresentações previstas que constituíram visões diferentes e complementares do montado. A caracterização histórica constituiu uma novidade ao apresentar um quadro de como e quando este sistema se terá desenvolvido e quais os factores que estiveram envolvidos. Já a segunda apresentação visou demonstrar a elevada eco-eficiência deste sistema quando bem gerido, servindo de exemplo para a gestão eco-eficiente de outros sistemas. Por fim, a última apresentação abordou o tipo de montado que os diferentes utentes preferem quando utilizam este sistema para desenvolver diferentes actividades.

Após as apresentações dos oradores fomos visitar o montado do Freixo do Meio, observando ao vivo muitas das coisas que tinham sido ditas nas apresentações orais.

O dia esteve excelente propiciando por isso um passeio muito agradável em que os participantes tiveram oportunidade de observar diferentes tipos de montado, desde o mais florestal ao mais intervencionado.

O almoço decorreu num dos restaurantes dos Foros de Vale Figueira e consistiu em produtos da herdade do Freixo do Meio que foram bastante apreciados e este momento constituiu, como é habitual nestas ocasiões, uma ocasião excelente para estabelecer contactos e conviver.

A parte da tarde foi preenchida com uma Post-It session coordenada pela engenheira Isabel Loupa Ramos. Esta é uma técnica inovadora de captação de ideias que exige, para que corra bem e se obtenham resultados que estejam definidas antecipadamente um pequeno conjunto de questões, das quais se escolhe depois uma ou duas, e que devem ser as questões a que as pessoas devem reagir nos post-it que lhes são dados. As questões devem ser *ABRANGENTES mas ao mesmo tempo CONCRETAS*, para que as pessoas percebam bem o que se pretende delas, mas ao mesmo tempo possam expressar opiniões diversas.

O papel dos participantes consistia, perante uma questão e munidos de um bloco de post-its amarelos, em ir escrevendo palavras ou ideias que nos viessem imediatamente à cabeça e ir colando sobre uma enorme folha de papel afixada na parede.

A questão sobre a qual deveríamos pensar foi:

“Quais são as condições que devem ser respeitadas na criação/manutenção do montado?”

Logo cada um começou a escrever as ideias que iam surgindo e o papel branco de cenário encheu-se rapidamente de post-its amarelos. A Isabel Ramos foi então ordenando os post-its segundo diferentes temas e criou, desta forma, os seguintes grupos:

Tempo – era o grupo maior e incluía expressões como sustentabilidade, equilíbrio, perpetuidade, permanência, respeito, cuidado,

Multifuncionalidade – um grupo que incluía expressões como diversidade, multifuncionalidade, variedade, novas funções, integração,

Espaço – um grupo que incluía expressões como adaptabilidade ao meio, bem-estar animal, homem como parte integrante da natureza, respeito pelo encabeçamento animal adequado, pastagem, equilibrar a natureza ao uso humano

Regulação/Políticas – com apenas duas expressões: globalização e regulação,

Inovação – com também apenas duas expressões: inovação e inovar sem estragar,

Recursos naturais – onde se nomearam os diferentes recursos disponibilizados pelo montado: clima, solos, biodiversidade, raças autóctones, mobilização animal do solo, manutenção dos ecossistemas existentes, água, manutenção das condições edáficas, preservação dos sobreiros e azinheiras,

Produção eficiente – onde se nomearam expressões como: produção, desenvolvimento, economia=ecologia, eco-rentabilidade, eficiência, dinamismo, modelo de gestão por objectivos, diferenciação, rendimentos estáveis,

Conhecimento/Saberes – com expressões como: contos, lendas, arte, cultura, práticas tradicionais, paisagem, história, saber popular, diversidade e identidade paisagística, simbolismo, escape, educação, consciencialização, canções do campo (música e dança),

Função social – com expressões como: novas gentes, integrar os habitantes/a população, acesso à propriedade pela população, estruturante social, manutenção das populações locais, função social, humanizado.

Depois desta fase de atribuição de expressões foram dadas, a cada participante, um conjunto de bolinhas verdes e vermelhas que cada participante deveria colocar dentro de cada grupo conforme uma pontuação ou peso que desejasse dar a cada grupo como condição a ser respeitada na criação (bolas verdes)/manutenção (bolas vermelhas) do montado.

Após efectuado o trabalho o grupo atribuiu, como condições que deverão ter estado presentes aquando da criação do montado, (por ordem decrescente de importância):

1º – Função social: Responder às necessidades sociais
2º – Recursos Naturais: Utilização equilibrada dos recursos naturais
2º – Tempo: Consonância com os ciclos numa lógica de permanência
2º – Produção eficiente: Optimização na utilização dos recursos
3º – Multifuncionalidade: Coexistência de funções no espaço e no tempo
4º – Espaço: Coexistência equilibrada do homem na paisagem
5º – Conhecimento e saberes: Actuação baseada no conhecimento acumulado
6º – Inovação: Ponte entre a criação e a manutenção

Já as condições apontadas que deverão, segundo os participantes, estar presentes na manutenção do montado são (por ordem decrescente de importância):

1º – Multifuncionalidade: Coexistência de funções no espaço e no tempo, mais e diferentes funções
1º – Espaço: Coexistência equilibrada do homem na paisagem, novos equilíbrios
1º – Produção eficiente: Optimização na utilização dos recursos, entre o local e o global
2º – Tempo – Consonância com os ciclos numa lógica de permanência e num paradigma de sustentabilidade
2º – Recursos naturais – Utilização equilibrada e criativa dos recursos naturais
3º Conhecimento e saberes – Actuação baseada no conhecimento acumulado, reutilização dos saberes tradicionais
4º – Função social: Responder às necessidades sociais e a novas aspirações sociais
5º – Inovação: Projecção para o futuro através de novas tecnologias e modelos de gestão

Todo este trabalho implicou uma ampla discussão entre todos os participantes sobre o montado, reunindo diferentes pontos de vista e abordagens a este sistema.

Esperamos ter colaborado, deste modo, para uma visão renovada sobre este ecossistema, alertando para o potencial que sempre apresentou e ainda hoje revela, mesmo perante as novas exigências e funções que lhe são atribuídas.

Ana Fonseca

assessora da Herdade do Freixo do Meio

textos e fotos do encontro “Pensar Montado I”

.

Multifuncionalidade na Paisagem de Montado

Teresa Pinto-Correia e Diana Surová

Projecto AGROREG



tracker
Julho 2017
S T Q Q S S D
« Out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

PageRank


%d bloggers like this: